O fogo da amizade

For the English version of the post, click here: The fire of friendship

 
 

 
 

Há uma moí§a me esperando do lado de fora do hotel em Moscou, quando chego com meus editores.
– Preciso conversar com vocíª. Vim de Ekaterinburg só para isso.

– Por que ní£o entrou no hotel para me esperar?
– Li o seu blog hoje e entendi que escreveu para mim.
Estava comeí§ando a postar minhas reflexíµes sobre a viagem em um blog. Mesmo assim, com toda certeza ní£o havia nenhuma referíªncia í  moí§a que conhecera alguns segundos antes.

Ela tira um papel impresso com parte do meu texto. Eu o sei de cor, embora ní£o me lembre de quem me contou a história.

Um homem que precisa de dinheiro pede a seu patrí£o que o ajude. O patrí£o o desafia: se ele passar uma noite inteira no alto da montanha, receberá uma grande recompensa, mas, se ní£o conseguir, terá que trabalhar de graí§a.

O texto continua:
“Ao sair da loja, viu que soprava um vento gelado, ficou com medo e resolveu perguntar ao seu melhor amigo, Aydi, se ní£o era uma loucura fazer essa aposta.

Depois de refletir um pouco, Aydi respondeu: ‘Vou lhe ajudar. Amanhí£, quando estiver no alto da montanha, olhe adiante.
Eu estarei no alto da montanha vizinha, passarei a noite inteira com uma fogueira acesa para vocíª. Olhe para o fogo, pense em nossa amizade, e isso o manterá aquecido.
Vocíª vai conseguir, e depois eu lhe peí§o algo em troca.’

Ali venceu a prova, pegou o dinheiro e foi até a casa do amigo: ‘Vocíª me disse que queria um pagamento.’

Aydi respondeu: ‘Sim, mas ní£o em dinheiro. Prometa que, se em algum momento o vento frio passar por minha vida, acenderá para mim o fogo da amizade.'”
 
 

Para comentários de leitores sobre O Aleph (sem censura) CLIQUE AQUI

Para comprar O Aleph online, CLIQUE AQUI