Matisse encontra Renoir


painting by Pierre-August Renoir

Desde jovem, o pintor Henri Matisse costumava visitar semanalmente o grande Renoir em seu atelier. Quando Renoir foi atacado por artrite, Matisse passou a fazer visitas diárias, levando alimentos, pincéis, tintas, mas sempre procurando convencer o mestre de que estava trabalhando demais, e precisava descansar um pouco.

Certo dia, notando que cada pincelada fazia com que Renoir gemesse de dor, Matisse não se conteve:

“Grande mestre, sua obra já é vasta e importante. Por que continuar torturando-se desta maneira?”

“Muito simples”, Renoir respondeu. “A beleza permanece; a dor termina passando”.

As mãos de Deus


Illustration by Ken Crane

Mestre e discípulo caminham pelos desertos da Arábia. O Mestre aproveita cada momento da viagem para ensinar ao discípulo sobre a fé.
– Confie suas coisas a Deus – dizia. – Porque Ele jamais aban­dona seus filhos.

De noite, ao acamparem, o Mestre pediu que o discípulo amarrasse os cavalos numa rocha próxima.
O discípulo foi até a rocha, mas se lembrou do que aprendera durante aquela tarde.
“O Mestre deve estar me testan­do. Na verdade, devo confiar os cavalos a Deus”.
E deixou os cavalos soltos.

De manhã, descobriu que os animais que haviam fugido. Revoltado, procurou o Mestre.
– O senhor não entende nada sobre Deus! Ontem aprendi que devia confiar cegamente na Providência, entreguei a Ele a guarda dos cavalos, e os animais desapareceram!

- Deus queria cuidar dos cavalos – respondeu o Mestre. – Mas, naquele momento, Ele precisava de suas mãos para amarrá-los, e você não as emprestou

30 SEC READ: He needs your hand (ENG, ESPA)


Illustration by Ken Crane

_______________________
EN ESPANOL AQUI >>> El necesita tus manos
_______________________

A Master and his disciple were walking through the deserts of Arabia. The Master used each moment of the journey to teach his disciple about faith.
“Entrust your things to God,” he said. “Because He never abandons His children.”

When they camped down at night, the Master asked the disciple to tie the horses to a nearby rock.
The disciple went over to the rock, but then remembered what he had learnt that afternoon. “The Master must be testing me. The truth is that I should entrust the horses to God.”
And he left the horses loose.

In the morning he discovered that the animals had run off. Indignant, he sought out the Master.
“You know nothing about God! Yesterday I learnt that I should trust blindly in Providence, so I gave the horses to Him to guard, and the animals have disappeared!”

“God wanted to look after the horses,” answered the Master. “But at that moment he needed your hands to tie them up and you did not lend them to Him.”