10 SEG LEITURA: Confucio e o bíªbado

Quando ia para o lago, Confúcio sempre passava por determinada casa e parava para conversar sobre o jardim da varanda, que era o orgulho do proprietário.

í€s vezes, o homem estava bíªbado, mas Confúcio fingia ní£o prestar atení§í£o ao fato e continuava a falar do jardim.

Num dia em que o homem estava muito embriagado, um discí­pulo disse:

“Ele ní£o escuta porque sua alma está cheia de álcool”.

Confúcio respondeu:
“Uma pessoa só consegue se desenvolver, sabendo que tem um lado bom. Mesmo nos momentos de fraqueza, é preciso chamar a atení§í£o para este lado.

“Entí£o, eu converso sobre a beleza de seu trabalho como jardineiro e, em algum canto de sua alma, ele me escuta.
“Assim consigo evitar que a culpa destrua sua vontade de seguir o caminho”
 
 
 

Livraria Online AQUI
Meus livros em Kindle AQUI