Como o casamento

Nasrudin passou o outono inteiro semeando e preparando seu jardim. As flores se abriram na primavera – e Nasrudin reparou alguns dentes-de-leí£o, que ní£o havia plantado.

Nasrudin arrancou-os. Mas o pólen já estava espalhado, e outros tornaram a crescer. Ele procurou um veneno que atingisse apenas os dentes-de-leí£o. Um técnico disse-lhe que qualquer veneno ia terminar matando as outras flores. Desesperado, pediu ajuda a um jardineiro.

– É igual ao casamento – comentou o jardineiro. – Junto com coisas boas, terminam sempre vindo algumas poucas inconveniíªncias.

– Que faí§o? – insistiu Nasrudin.

– Aprenda a ama-las. Mesmo sendo flores que vocíª ní£o planejou ter, fazem parte do jardim.
 
 
 

Livraria Online AQUI
Meus livros em Kindle AQUI