As palavras sí£o lágrimas que foram escritas

(estou dando uma conferíªncia em Túnis, Tunisia, abril de 2006)

A conversa continua, o tempo passa rapidamente e preciso terminar a palestra. Escolho ao acaso, no meio de 600 pessoas, um homem de meia-idade, com um grosso bigode, para a pergunta final.
– Ní£o quero fazer nenhuma pergunta – diz ele. – Quero apenas falar um nome.
E diz o nome de uma pequena igreja em Barbazan-Debat, que fica no meio de lugar nenhum, a milhares de quilí´metros de onde me encontro, e onde um dia coloquei uma placa agradecendo um milagre. É o nome da igreja aonde fui, antes desta peregrinaí§í£o, pedir í  Virgem que protegesse os meus passos.
Eu já ní£o sei mais como continuar a conferíªncia. As palavras a seguir foram escritas por um dos apresentadores que compunham a mesa:

“E de repente o Universo parecia ter parado de se mover naquela sala. Tantas coisas aconteceram: eu vi suas lágrimas.
Eu vi as lágrimas de sua doce mulher, quando aquele leitor aní´nimo pronunciou o nome de uma capela perdida em um lugar do mundo.
Vocíª perdeu a voz. Seu rosto sorridente tornou-se sério.
Seus olhos se encheram de lágrimas tí­midas, que tremiam na ponta dos cí­lios, como se quisessem se desculpar por estarem ali sem serem convidadas.

Ali também estava eu, sentindo um nó na garganta, sem saber por quíª.
Procurei na plateia minha mulher e minha filha, sí£o elas que sempre busco quando me sinto í  beira de algo que ní£o conheí§o.
Elas estavam lá, mas tinham os olhos fixos em vocíª, silenciosas como todo mundo, procurando apoiá-lo com seus olhares, como se olhares pudessem apoiar um homem.

Entí£o procurei fixar-me em Christina, pedindo socorro, tentando entender o que estava acontecendo, como terminar aquele silíªncio que parecia infinito.
E vi que também ela chorava, em silíªncio, como se vocíªs fossem notas da mesma sinfonia e como se as lágrimas dos dois se tocassem apesar da distí¢ncia.

E durante longos segundos já ní£o havia mais sala, nem público, nada mais.
Vocíª e sua mulher tinham partido para um lugar onde ninguém podia segui-los; tudo o que existia era a alegria de viver, contada apenas com o silíªncio e a emoí§í£o.
As palavras sí£o lágrimas que foram escritas. As lágrimas sí£o palavras que precisam jorrar. Sem elas, nenhuma alegria tem brilho, nenhuma tristeza tem um final.
Portanto, obrigado por suas lágrimas.”

Deveria ter dito í  moí§a que tinha feito a primeira pergunta – sobre os sinais – que ali estava um deles, afirmando que eu me encontrava no lugar onde devia estar, na hora certa, apesar de nunca entender direito o que me levou até ali.

trecho de O ALEPH

Comments

  1. Ligia says:

    Paulo, lendo os comentarios percebi que muitos leitores procuram sua palavra em horas fortes da vida…Entí£o, hoje eu também a encontrei…Obrigada

  2. LECIANA oliveira says:

    Oi Paulo! obrigada por nos permitir viajar por um mundo tao maravilhoso onde os guerreiros da luz ainda existem e onde os sinais nos permitem a conexí£o com mundo que as vezeds esquecemos que existe o nosso mundo. espero que minha filha assim como eu aprenda com a sua literatura a acreditar em mundo melhor em almas gemeas e nos sinais.

  3. Querido Paulo: o Aleph é um livro que me fez entender muitas coisas em relaí§í£o a certas sensaí§íµes que já tive( e tenho) quando estou em certos lugares ou conheí§o alguma pessoas.

    Fique na paz :)

  4. Elson Cabral says:

    oi Paulo Coelho
    Apesar ní£o ter nascido quando comeí§aste a escrever as primeiras páginas do teu primeiro livro, quero que saibas que já li todas as páginas do teu primeiro e muitos outros livros. Gosto da maneira como escreves e essa maneira inspira-me muito. Espero um dia conhecer-te.

  5. Fenix da silveira says:

    Oi Paulo.
    Nao sei se vai ler o que te escrevo nesse momento, li todos os teus livros quando mais novo, hoje mais velho estou voltando a relembrar todas as historias. Com o tempo e mais maduro hoje tenho outra interpretaí§í£o das tuas palavras. Te agradeí§o por todas elas, que sempre se encaixam em algum momento da nossa vidas e tocam profundamente nossos principios e a maneira como vemos a vida. Varias vezes já me emocionei lendo as historias, obrigado mais uma vez por nos mostrar como somos humanos e falhos e que a vida nada mais é que um aprendizado a cada dia, a cada momento! Como é bom te escrever, ní£o num momento triste ou de duvida,mas sim num momento de alegria e contentamento com a vida! Obrigado mesmo por partilhar tuas experiencias, um poquinho da tua vida.
    Mais que um leitor, sou teu admirador, ní£o por exemplos, mas por mostrar que todos somos um só. brigado :D

  6. JO WERONYKA says:

    A lágrima é a alma que se solta e nos mostra e mostra o quanto somos espirituais, é o desabrochar do que ní£o podemos enganar, até mesmo o ator quando chora é pork algo o esta remexendo em seu interior, nada é mentira, quando sí£o lágrimas…

  7. karin says:

    A lágrima é a expressao viva do amor e do sofrimento. Essa gotinha milagrosa tem o poder de purificar a alma , aliviar a dor e elevar os sentimentos…
    As lagrimas dizem tanto de uma maneira sublime e silenciosa…

    Este texto é de encher os olhos e o coracao…
    Quero muito ler este livro de mensagens encantadoras…
    Voce é realmente muito iluminado, carismático e muito querido por todos!
    Desejo o melhor e que Deus abencoe voce e sua familia hoje e sempre…

  8. Eyna says:

    Oi Paulo,

    li o Aleph… me atravessou a alma. Senti o mundo de uma maneira nova. obrigado.

  9. Susana says:

    Bom dia, e obrigada pelas suas sempre sábias palavras! Sempre que fico com dúvidas existenciais recorro aos seus livros e lá de uma maneira ou de outra encontro a resposta e encontro-me…neste momento sinto que precisava de respostas, ní£o sei o que fazer pois sinto o que ní£o queria! Vou tentar voltar a ler algum livro seu para ver se nas entrelinhas me aparece uma resposta. Como eu gostava de lhe poder perguntar as minhas questíµes??!! Obrigada

  10. Fabiana Faquete says:

    Nada acontece por acaso, NUNCA…..

  11. Nicoletta Gobbo Stauble says:

    Rileggerí² lentamente, pií¹ e pií¹ volte…
    perchè ad ogni rilettura l’Anima mia acquisisce ancora, e ancora…
    “Aleph” mi è entrato dentro…è parte di me ora…
    grazie Paulho..
    Niki

  12. Cleuber says:

    Quero lhe contar como conheci sua obra. Ouvia muitas crí­ticas negativas, mas nunca havia lido nada seu, ní£o podia, portanto, opinar sobre sua obra. Foi entí£o que em 2008 li pela primeira vez um livro seu, era o Diário de Um Mago. Comecei a ler e tudo o que eu havia ouvido falar se confirmou, achei muito ruim. Aquela linguagem era simples demais pra ser considerada literatura, mas sou persistente e de alguma forma havia sido seduzido pela história, decidi terminar de ler o livro. Prossegui a leitura durante alguns dias e quando cheguei ao final do livro e li a última palavra algo mágico aconteceu, caí­ em uma crise de um choro muito profundo. Compreendi que a sua literatura ní£o é para a mente, é uma literatura para as emoí§íµes e para o espí­rito. É uma linguagem iniciática, filosofal… Desde entí£o sou um profundo fí£ e admirador. Viva Paulo Coelho.

  13. Lu Dias says:

    Acabei de ler o Aleph, e pude sentir um pouco do amor que nele é relatodo e me senti confortada e muitas vezes com vontade de ter alguém assim do meu lado , que goste de mim de verdade .

  14. Vani says:

    Suas palavras sí£o sempre encorajadoras pra mim, já li muitos de seus livros e minha mais nova aquisií§í£o será O aleph.
    Admiro sua capacidade de escrever tí£o brilhantemente.
    Abraí§os ao nosso querido escritor!

  15. Ana Carla says:

    É sempre emocionante ler seus escritos. Como havia posto, através de tweets, depois que comecei a ler seus livros, ní£o consigo mais parar. Li Brida, foi o primeiro deles, em uma só tarde. Levei-o para a universidade pra dar em troca de “Veronika decide morrer”, também já acabei, e estou tentando conseguir o “Monte Cinco”. É incrí­vel como em todos eles consigo me identificar de alguma forma. Vocíª é muito iluminado, e que seja sempre. Muito sucesso!

  16. Yeda Regina says:

    Olá Paulo Coelho.
    Conheci seus livros ainda na minha adolescíªncia. Eu já havia lido todos os livros de literatura disponí­veis na biblioteca da escola e estava um tanto entediada morando longe da minha mí£e, sem grana, sem amigos (dilemas comuns dos adolescentes). Encontrei a atendente no corredor e ela me falou dos livros novos… ní£o perdi tempo.
    Comecei por Diário de um Mago.
    Mas, foi em Brida que encontrei palavras inspiradoras para seguir adiante com os meus sonhos, que na época, pareciam praticamente impossí­veis de realizar.
    E eu acreditei no impossí­vel. Pronto! O universo conspirou ao meu favor.
    Agora, , 23 anos depois, continuo acreditando nos meus sonhos e realizando-os.
    Muito obrigada por suas palavras.

  17. “Quando a ligaí§í£o entre as pessoas é espiritual, o corpo carnal ní£o se dá conta do magnetismo arrebatador”.(Juahrez Alves)

  18. Cláudia Costa says:

    Paulo, agora mesmo me encontro sem forí§as e muito triste…
    Amanhí£ comeí§arei a ler O Aleph e tenho certeza que esse livro irá me levar a momentos especiais.

  19. Adriana Freitas says:

    Ní£o sei explicar mais é vc q me distrai qd to triste, com raiva, com medo, ………só qria alguem como vc por perto!!!

  20. Leonardo Pereira says:

    As lagrimas sí£o a assinatura da verdade.

    Espero conhece-lo um dia Paulo, pois seus livros me levam as lágrimas.

  21. sirlene de deus chaves de sousa says:

    lagrimas faz com que vejamos como e e como sera nossa passagem pela vida uma vez que elas nos mostra o vivemos e ainda assim agradecemos porque sempre levamos uma marca

    bjxxx

  22. Briba Dantas says:

    Ní£o importa o nosso status. Quando choramos nos tornamos simplesmente humanos.

  23. Querido, esta frase de minha autoria é em homenagem a vocíª: “Se vocíª chorar um rio de lágrimas, atravesse o rio e siga em frente”.(Juahrez Alves)

  24. Cristina says:

    Guerreiro amado

    Antes de comentar o post, muitissimo obrigada pelo seu carinho com o amado Padre Fabio de Melo. Ja te disse q acho vcs tí£o parecidos, apesar de tí£o profundamente diferentes,acho encantador.
    Acompanho mto o trabalho dele e sempre q posso vou a pregaí§íµes e shows, é sempre uma bení§í£o. Qdo criticam ele fico triste como fico qdo criticam vc.

    Sobre o post, aprendi com vc a prestar atení§í£o nos sinais. Eles estí£o sempre marcando o caminho, por mto tempo ñ enxerguei. Dia desses estava relembrando de uma epoca de afastamento de Deus, e lembrando de qtos sinais Ele me mandava e eu ní£o via. Olhos claros e atentos, pra vc, pra mim, pra todos, é minha prece para essa semana q se inicia.

    Parabéns pelo sucesso do Aleph, para o alto e avante! Q venda muito muito mais e ilumine mtos coraí§íµes

    Bjosss S2

  25. maria edna arcoverde cals says:

    foram muitas as lágrimas q derramei nessa semana pelo sofrimento q está passando meu filho,exatamente, no dia em q a sua mensagem era :Sí”BRE A INTRIGA
    e..todo o seu texto, parecia q era especialmente para íªle q por ser GUERREIRO DA LUZ está pagando !
    lendo O MAGO em alguns momentos parecia q estava íŠLE!
    e..como nada acontece p/acaso,VC escreveu , eu LI!
    tenho certeza, q tb sua MíƒE deixou q muitas lágrimas escorressem p/FILHO pedindo q em algum tempo VC RESSUSCITASSE!
    E VC RESSUSCITOU!
    VC É O MAGO PAULO COELHO!
    Valeram…sempre irí£o valer…LíGRIMAS DE MíƒE!
    Obrigada!

  26. Leandro says:

    God created us as perfect, we all have the same feeling, but each one describes them in a way.
    God gave us imagination to write happiness and sadness in a particular way.
    Gave us the intellect to think what nobody has thought ..
    expose feelings is a necessity.
    It is a necessity as old as talking, eating, drinking.
    It is a necessity as old as the pleasure and love, sadness and longing.
    our nature is to share what we feel, when describing feelings, we are asking for help and helping at the same time. Lucky who can naturally share with others their joys and sorrows.

  27. Ana Cristina says:

    Ultimamente minhas lágrimas sí£o de saudades , de amor ; pela pessoa mais especial da minha vida , minha mí£e , que hoje com certeza está ao lado de Deus.

  28. Flávia says:

    Quero encontrar razí£o nas minhas lágrimas, que ultimamente sí£o muitas.

  29. EROILZA says:

    Cada vez que leio seus livros eu me conheí§o mais,eu me encontro na leitura.voce me ensina muito,coisas que jamais
    iria conhecer.sinto me perdida ainda,ní£o encontrei o caminho certo,mas estou andando numa trilha e tenho certeza que logo encontrarei o tí£o esperado caminho.obrigada

  30. Ray Ramos says:

    Nossas lágrimas nos mostra o quanto somos simples e imperfeitos, mostra nossas fraquezas, nossos defeitos,nossa coragem,até nosso amor. Mostra o nosso ser se renovando colocando para fora seus sentimentos,podendo ser bons ou ruins,mas que seja sentimentos verdadeiros.Demostra a pureza de que naquele instante nosso coraí§í£o senti algo diferente, algo que marca,e que de alguma forma nos faz mudar.
    Com carinho @ReeyRamos

  31. Catarina henriques says:

    Mal posso esperar para le-lo!!! ;)

  32. Dandara says:

    Eu leio seus livros e textos , mas ní£o sei mesmo lidar com a perda.Amanhí£ eu faria dois anos de casada ,hoje surpreendentemente meu marido me disse que quer o divórcio. Estou em lágrimas ,prantos…Ní£o tenho forí§as nem para digitar direito, eu o amo demais ,queria morrer ,mas jamais faria algo contra mim mesma ,ní£o sei oque faí§o ele está deitado agora em nosso quarto dormindo, e eu aki na sala me derramando e morrendo por dentro, se alguém quizer conversar comigo meu email é:[email protected]

  33. Salve Paulo;

    Um guerreiro nem sempre entende suas escolhas mas sempre é fiel í  elas.

    Obrigado.

  34. Camila Costa says:

    As lagrimas nos ajudam a colocar para fora tudo aquilo que nos machuca ou que nos faz feliz ! E quando ní£o conseguimos mais manter trancafiado em nossos coraí§íµes esses sentimentos choramos e sem explicaí§í£o nos sentimos leves e tranquilos.
    Abraí§os.

  35. Patrícia says:

    Todos os sentimentos podem ser traduzidos por lágrimas e jamais ficaremos insensí­veis quando alguém sem dizer uma palavra chora junto de nós.

    É bom ter quem nos faz pensar nas coisas simples e magnificas que Deus nos deu!

  36. Raphael Michael says:

    Se Deus está conosco, entí£o fico a imaginar como seus “olhos” ní£o param de chorar. Ní£o há lamentaí§í£o, tampouco decepí§í£o. Apenas a esperaní§a de salvaí§í£o. De poder passar a eternidade com os filhos amados, escravizados pelo pecado.
    Com carinho, Raphael.

  37. marie-christine says:

    Traduction en francais

    Passage de l’Aleph

    (Je donne une conference a Tunis en Tunisie en avril de 2006)

    La conversation continue, le temps passe rapidement et je dois mettre fin a la conference.
    Je choisis, par hasard, entre 600 personnes, un homme d’une cinquantaine d’annees, avec une grosse moustache, pour la question finale.
    – Je ne veux pas poser de questions – dit-il – je veux seulement dire un nom. Il dit le nom d’une petite eglise a Barbazan-Debat, qui se trouvait au milieu de nulle part, a des milliers de kilometres d’ou je me trouve, et, ou un jour, j’ai pose une plaque en reconnaissance d’un miracle. Et le nom de l’eglise ou je suis alle avant ce pelerinage, pour demander a la Vierge qu’elle me protege dans mes pas.
    Et je ne sais plus comment continuer la conference – Les paroles qui suivent ont ete ecrites par un des presentateurs qui constituait le panel.

    “Et soudain l’Univers a lair de s’etre arrete de bouger. Tant de choses se sont passees, j’ai vu tes larmes et celles de ta douce femme, lorsque ce lecteur anonyme a prononce le nom de cette chapelle perdue quelque part dans le monde.
    Tu as perdu la voix. Ton visage souriant a vire au serieux.
    Tes yeux se sont remplis de larmes timides, qui tremblaient au bout des cils, comme si elles voulaient s’excuser d’apparaitre la, sans y etre invitees.

    J’ai moi-meme eu un noeud a la gorge, sans savoir pourquoi.
    J’ai cherche dans l’audience ma femme et ma fille, ce sont elles que je cherche toujours lorsque je me sens au bord de quelque chose de mysterieux.

    Elles etaient la, mais elles avaient les yeux fixes sur toi, silencieuces, comme tout le monde, procurant de l’aide avec leurs yeux , comme si un regard pouvait aider un homme .

    Puis j’ai regarde vers Christina, appelant au secours, essayant de comprendre ce qui s’etait passe, comment mener a fin ce silence qui paraissait interminable.
    Et j’ai vu qu’elle pleurait aussi en silence comme si vous etiez des notes de la meme symphonie et comme si les larmes des deux se touchaient malgre la distance.

    Et pendant de longues secondes, il n’y avait maintenant plus de salle, plus d’audience, rien de plus.
    Toi et ta femme etaient partis dans un endroit ou personne ne pouvait suivre, tout ce qui subsistait etait la joie de vivre, exprimee par le silence et l’emotion.
    Les mots sont des larmes qui ont ete ecrites, les larmes sont des mots qui ont besoin d’etre versees.
    Sans elles, la joie perd tout son eclat et la tristesse n’a pas de fin.
    Alors, merci pour vos larmes.”

    J’aurais du dire a la jeune femme qui a pose la premiere question – sur les signes – que ceci etait un signe – me confirmant que j’etais a l’endroit ou je devrais etre, au bon moment, meme si je ne comprenais pas ce qui m’avait amene ici.

  38. cristina says:

    Me gustaron esas palabras eres muy sabio paulo te admiro y siempre dices las palabras justas en el momento, fecha, lugar y hora adecuada, gracias por hacernos ver cosas que ya sabí­amos pero no sabemos como expresar.

  39. @caschemir says:

    Hoje eu escrevi: Quando Deus me mostra o caminho, eu me sinto segura. Ní£o há garantias, mais no fundo eu sei… Deve ser assim, né. “Um abraí§o querido escritor.”