Um livro pelo preí§o de uma música

Como é sabido, sempre fui a favor do conteúdo livre na internet. Mas a primeira vez que falei disso, em 2007, foi um Deus-nos-acuda. Como? E de que os autores ví£o viver?
Penso que os escritores que tiverem inteligíªncia suficiente, entenderí£o que a Web é uma porta de entrada para seus trabalhos. Uma vez lidas algumas páginas em um site de P2P, e gostando do trabalho, nada mais incomodo que terminar de ler o texto na tela de computador. O próximo passo será comprar o exemplar fí­sico.
E no que se refere a livos eletrí´nicos? Neste caso, eu sinceramente acho os preí§os absurdos. Ní£o há custos de impressí£o, transporte, estocagem, espaí§o na livraria, etc.
Exceto por algumas experiíªncias isoladas, nunca havia tido a oportunidade de testar isso em grande escala. A oportunidade chegou em um encontro de minha agente, Monica Antunes, com o representante da Harper Collins USA, durante a Feira do LIvro de Londres 16 de marí§o 2012). Foi discutido o tema do livro eletrí´nico, cujo preí§o variava entre USD 7 e USD 9 no meu caso.
Dois dias atrás, recebemos um email que iriam colocar quase todos os meus livros eletrí´nicos no Kindle, no Nook e na iBoostore. Imediatamente entrei em aí§í£o: fiz um post e coloquei no Twitter, Facebook, e este blog.
O resultado foi surpreendente. Como poderí£o ver clicando AQUI, os livros deram um salto de 4.000% a 6.000%. O tema se tornou um dos mais comentados do mercado editorial, e a Publishers Weekly, a bí­blia dos editores em todo mundo, escreveu um artigo a respeito, que hoje a tarde era o segundo mais lido do seu portal. Tornou-se o tópico “quente” da briga atual entre o Departamento de Justií§a americano e a Apple, onde a segunda é acusada de fixar artificialmente os preí§os.
Volta-se a tocar na mesma tecla: posso fazer isso porque fiquei rico. Sim, fiquei rico com literatura, mas ní£o foi isso que me levou a escrever. Meus pais me diziam que ia morrer de fome. Ní£o aconteceu…
Enfim, embora o Brasil ainda ní£o tenha suportes eletrí´nicos em grande escala, cedo ou tarde isso acontecerá.
E quando esse dia chegar, é importante dizer aos escritores de agora: ní£o existe nada de errado em ganhar dinheiro com livros, mas lute para levar seu trabalho a um custo razoável a todos – mesmo que tenha que termine encontrando muita resistíªncia.

Nota: o preí§o dos meus livros eletrí´nicos a 0,99 USD sí£o validos apenas para os EUA e Canada. Mas visto o excelente resultado da promoí§í£o, é possivel que seja extendido a todos os paí­ses do mundo.

Comments

  1. melissa cardozo says:

    Boa noite, sou venezuelana, eu consigo comprar os livros eletronicos pra apple USA em portugues?

  2. Marie-Christine says:

    In English

    A book for the price of a song

    As you know I have always been in favor of free content on the Internet, Furthermore, the first time that I spoke about this , in 2007, was an O.M.G. How! and How are the authors going to survive?
    I think that the writers that are sufficiently intelligent will understand that the web is an open-door for their works. Once you read some pages on a site of P2P and you like the work, there is nothing more uncomfortable than finishing to read a text on the computer screen. The next thing will be to buy the copy of the book.,
    And what about the electronic books? In this case, sincerely, I found the prices absurd. There is no cost of printing, transport, stocking, space in a library, etc. Apart from some isolated examples, there has never been the opportunity to test these on a larger scale. An opportunity arose between a meeting of my Agent Monica Antunes and a Harper Collins’ representative U.S.A. during the Book Fair in London on the 16th of March 2012. The electronic Book’s theme was discussed – whose price varying between $7 and $9 in my case.
    Two days ago, we have received an e-mail which put nearly all my electronic books in KIndle, Nook, and i-Bookstore. I took action straight away – I wrote a post on Twitter, Facebook and this blog.
    The result was amazing. As you can see by clicking HERE, the books shot from 4,000% to 6.000%. The theme was one of the most commented in the Editorial Market and the Publishers Weekly, a bible for Editors around the world. I wrote an article about it. that was, this evening , the second busiest of them. It became a ‘hot” topic of battle between the Department of American Justice and Apple where the second is accused of artificially fixing the prices.
    Let’s come back to the topic : I can do this because I am rich, Yes, Literature made me rich but it is not what brought me to write. My parents were telling me that I would die of hunger… It did not happen…
    At last, even though Brazil yet does not have electronic support on a grand scale, soon or later this will happen.
    And when this day comes, it is important to say to the writers of to-day, There is nothing wrong in earning money with books, but fight to get your work at a reasonable cost for all even if you end up finding a lot of resistance.

    Note – The price of my electronic books at $o.99 U.S.D is only valid for the United States of America and Canada, But in view of the excellent result from the promotion, it is possible that it will be extended to all the countries in the world.

  3. Gustavo says:

    As editoras simplesmente se recusam a aceitar que um novo modelo de negócios pode existir. É uma vergonha cobrarem o mesmo preí§o por livro eletrí´nicos que as versíµes fí­sicas. Hoje já vemos empresas de jogos que cobram 0,99 e vendem milhíµes de downloads (angry birds). É produto de qualidade, a um preí§o acessí­vel a todos, gerando lucros e eliminando a pirataria. Todos ganham. Mas as editoras querem todo o dinheiro do mundo só pra elas, aí­ ní£o dá. Tá faltando mais gente com coragem (e bala na agulha) como vocíª pra dar um tapa na cara desse povo e mostrar que as coisas podem ser diferentes. Eu que já era fí£ de sua literatura, passo a admirar ainda mais sua pessoa.

  4. Natasha Novínsky says:

    Oi querido…
    Semana passada eu estava no Centro da Cidade e aproveitei para dar
    uma passada na Livraria Saraiva da Rua do Ouvidor…
    Cheguei afobada procurando pelo Alquimista e O Diário de Um Mago, a atendente muito atenciosa me levou até eles e como uma crianí§a diante de doces deliciosos passei a mí£o nos que estavam na exposií§í£o, depois fiquei sem graí§a quando vi a jovem colocando outros no lugar…rsrs…Cegueira momentí¢nea de emoí§í£o…O melhor foi o preí§o,R$14,90 cada, uma maravilha!!!
    Eu li O Aleph e agora viajo com O Alquimista…
    Beijos e parabéns por fazer de tudo para que seus leitores do mundo todo possam ler seus livros…

  5. Guilherme says:

    Qual a porcentagem que vai para a livraria eletrí´nica, e quanto fica para vc, desses 99 cents?