2013 Encerrando ciclos


Illustration by Ken Crane

Não consegui comprovar o autor deste texto, que circula na internet como se eu o tivesse escrito – até o momento pelo menos dez pessoas clamam sua autoria. Resolvi transcreve-lo aqui com modificações que fiz
______________________________________

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final…
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos.
Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?
Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu….
Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó.
Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam, e o melhor a fazer é deixar que elas realmente possam ir embora…

Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.

Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração… e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.
Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.

Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor.
Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”.
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa – nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.
Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.

Esqueça quem você era, e passe a ser quem é.

FELIZ 2011!

Comments

  1. Érika Lima says:

    Paulo,

    O Texto é da Martha Medeiiros, nossa escritora gaucha que, assim, como voce, inspiram nossos dias com mensagens maravilhosas…
    Adoro o que posta!!!!

    Bjs.

  2. Sandra JESUS says:

    PAULO
    Esse texto parece que foi escrito p o momento que estou vivenciando…caminhos que escolhememos e que como magica, se desintegram esomos obrigados a tomar atitudes e afrontar nossa sombra e emoçoes ,desequilibrios e perda do sentido….Sabe, a energia que esta inundando minha vida nesse momento e a Confiança e a Fe em DEUS e Nossa Senhora….Sei que nao estou desamparada….Ha 4 anos mudei minha vida estabilizada , deixei tudo em nome de um Amor….vivi intensamente….e tiv muitas surpresas no meu ciclo e a grande surpresa que foi saber que cai em um armadilha ….e que aceitei viver nela p tentar recuperar o sonhado Amor….4 anos vivendo nos Pirirneus, aprendendo auma lingua diferente da nossa…enebriada pelas montanaha, pela estaçoes…acreditando na possibilidade de Regeneraçao…mais acabou…..de uuma forma triste e muito dura…encerrar ciclos nao e coisa facil…mais RESPIRAR e preciso…..memso em meio amontanhas……c todo meu amor, nao respirava mais.
    Obrigada pelo texto, lindissimo como td que vc faz

  3. Andrea Mendes says:

    Já li antes…talvez em algum livro do Roberto Shinyashiki !!
    Mas também, não tenho certeza se é dele…

  4. karina says:

    É a ordem natural das coisas…
    Tudo tem seu tempo para comecar, durar e terminar e assim vamos descobrindo o mundo e a nós mesmos. Cada ciclo que se fecha é a oportunidade de desenvolvimento e a esperanca de uma vida promissora. Ganhar e perder fazem parte do término do ciclo e o recomeco de uma nova era…

  5. Áfia Gouveia says:

    Bem dito! É algo tão doloroso (principalmente no caso daquelas pessoas extremamente nostálgicas) mas tão necessário para mantermo-nos saudáveis…

  6. alexandra says:

    Muito obrigado por publicar, isto ajudou-me muito mais um capitolo!!!

  7. Tutti Rivero says:

    O texto e otimo,mas eu mudaria a traducao do titulo para:”Fechando ciclos”.

  8. ana sara says:

    o maior problema é quando algumas pessoas não nos deixam encerrar capítulos, se vitimizam e nos culpam de tudo. Do que fazemos ou não fazemos! “Somos presos por ter cão e não ter cão”… e fazem tudo para nos sentirmos infelizes como eles…. atirando-nos à cara que não andamos com eles “ao colo”, quando a nós nada nos dão só exigem….. e nada de lúcido entra naquelas cabeças…nada…. vitimizam-se sempre!!!! É muito cansativo.

  9. Tato says:

    Hey , é de Fernando Pessoa- ele mesmo !!

    não, não é. Eu conheço a obra de Pessoa

  10. danillo says:

    Esse texto me caiu como um sinal dos céus.Uma dádiva dolorosamente necessária.Decidi a partir de hoje deixar que 4 anos de passado possam assumir seu legitimo lugar de passado.Preciso tanto disso!Meu futuro quer tanto isso.Abro mão agora do ressentimento e do lamento da vida que poderia ter sido.Com amor e gratidão no coração entrego aos ventos o sofrimento que por tanto tempo fiz questão de cultivar tão carinhosamente.Sei que esse vento ao retornar me trará de troco uma felicidade ainda desconhecida e uma nova vida no curso desse novo e esperançoso caminho. OBRIGADO!!!

    1. Solange says:

      Assim como disse Danillo acima, foi uma dádiva necessária ler estas palavras foi como reiniciar, .
      A dias lembro e relembro de algo que nem vale mais a pena lembrar, de, pessoas que já deveriam estar nos seus devidos lugares : Passado!
      Como palavras tão óbvias lidas do nada podem refletir sentimentos e sensações em nossas vidas não é?
      Adorei, agora é só atitude, que venham momentos de clareza e felicidades!
      Valeu
      !

  11. perla burnes says:

    Es muy cierto,vivimos tantas cosas a las cuales nos aferramos,sin darnos cuenta muchas veces q hay q dejarlas para seguir adelante y conseguir nuevas oportunidades q la vida t presenta.!!!!!!

  12. Viviane says:

    Paulo como sempre encantando…

    “Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.”

  13. Bom dia, bongiorno, caro com vocè que ci da tanto com frazes, com palavras escritas eu as vezes nao sinto a necessitade di escrever outras coisas,nao o necessitadi,tanta luz a vocè e bua vita.beijos.

  14. Maria Caixeiro says:

    É um texto de uma sabedoria incumensurável.Fechei ,por diversas vezes e voluntàriamente ciclos da minha vida por uma necessidade premente de renovação e soube a liberdade!«Fechar ciclos,limpar a poeira,abrir espaços», pode ser muito doloroso se envolver a sensação de perda,porque o passado não se fecha a cadeado e não fica numa recolha quieta.Ele teima em assombrar-nos a Vida que queremos renovada.Aos 59anos a grande mudança ocorreu de uma forma bem dramática .Como consequência duma atitude altruísta e um pouco irreflectida ,tudo perdi injustamente.Iniciei um novo ciclo,recomeçando do zero.Durante algum tempo a insegurança foi tanta ,que tinha a sensação de flutuar,como se não tivesse chão!A luta foi dura,mas o caminho novo é revigorante porque traz novas energias e a libertação das dores (ainda quentes).Desculpe ,PAULO ter acabado por testemunhar,mas a impressão que tive quando li o texto foi muito estranha,como se estivesse a ler algo que me fosse especialmente destinado.Pedi tantas vezes a Deus que me ajudasse a abrir a minha mente para me libertar dos sentimentos negativos que por vezes espreitavam e hoje a 20 dias do meu aniversário, este texto foi uma prenda antecipada, para me ajudar ainda a reflectir e a agarrar a VIDA com mais força,para definitivamente aceitar a renovação!Deus o abençoe pela força e esperança que transmite a quem o lê!

  15. Sylvia says:

    Hoje este texto me ajudou muito, obrigada por publicá-lo novamente no face.
    Sylvia

  16. Priscila says:

    Lindo mesmo. Já li em alguns lugares com créditos ao Caio Fernando de Abreu, mas também não tenho certeza de quem é.

  17. Mayara says:

    Sempre perfeito e sempre nos norteando, ultrapassando as fronteiras das palavras perfeitas e belas, eu não consigo mais imaginar o que possa vir…Sempre no seu face…..

  18. Paula says:

    Palavras perfeitas p esse momento de nossas vidas!!!