2013 Encerrando ciclos


Illustration by Ken Crane

Ní£o consegui comprovar o autor deste texto, que circula na internet como se eu o tivesse escrito – até o momento pelo menos dez pessoas clamam sua autoria. Resolvi transcreve-lo aqui com modificaí§íµes que fiz
______________________________________

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final…
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capí­tulos.
Ní£o importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedida do trabalho? Terminou uma relaí§í£o? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro paí­s? A amizade tí£o longamente cultivada desapareceu sem explicaí§íµes?
Vocíª pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu….
Pode dizer para si mesmo que ní£o dará mais um passo enquanto ní£o entender as razíµes que levaram certas coisas, que eram tí£o importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó.
Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmí£os, todos estarí£o encerrando capí­tulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerí£o ao ver que vocíª está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou ní£o voltará: ní£o podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligaí§í£o com quem já foi embora e ní£o tem a menor intení§í£o de voltar.

As coisas passam, e o melhor a fazer é deixar que elas realmente possam ir embora…

Por isso é tí£o importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordaí§íµes, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.

Tudo neste mundo visí­vel é uma manifestaí§í£o do mundo invisí­vel, do que está acontecendo em nosso coraí§í£o… e o desfazer-se de certas lembraní§as significa também abrir espaí§o para que outras tomem o seu lugar.
Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto í s vezes ganhamos, e í s vezes perdemos.

Ní£o espere que devolvam algo, ní£o espere que reconheí§am seu esforí§o, que descubram seu gíªnio, que entendam seu amor.
Pare de ligar sua televisí£o emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como vocíª sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
Ní£o há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que ní£o sí£o aceitos, promessas de emprego que ní£o tíªm data marcada para comeí§ar, decisíµes que sempre sí£o adiadas em nome do “momento ideal”.
Antes de comeí§ar um capí­tulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa – nada é insubstituí­vel, um hábito ní£o é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difí­cil, mas é muito importante.
Encerrando ciclos. Ní£o por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já ní£o se encaixa mais na sua vida.
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.

Esqueí§a quem vocíª era, e passe a ser quem é.

FELIZ 2011!

Comments

  1. Érika Lima says:

    Paulo,

    O Texto é da Martha Medeiiros, nossa escritora gaucha que, assim, como voce, inspiram nossos dias com mensagens maravilhosas…
    Adoro o que posta!!!!

    Bjs.

  2. Sandra JESUS says:

    PAULO
    Esse texto parece que foi escrito p o momento que estou vivenciando…caminhos que escolhememos e que como magica, se desintegram esomos obrigados a tomar atitudes e afrontar nossa sombra e emoí§oes ,desequilibrios e perda do sentido….Sabe, a energia que esta inundando minha vida nesse momento e a Confianí§a e a Fe em DEUS e Nossa Senhora….Sei que nao estou desamparada….Ha 4 anos mudei minha vida estabilizada , deixei tudo em nome de um Amor….vivi intensamente….e tiv muitas surpresas no meu ciclo e a grande surpresa que foi saber que cai em um armadilha ….e que aceitei viver nela p tentar recuperar o sonhado Amor….4 anos vivendo nos Pirirneus, aprendendo auma lingua diferente da nossa…enebriada pelas montanaha, pela estaí§oes…acreditando na possibilidade de Regeneraí§ao…mais acabou…..de uuma forma triste e muito dura…encerrar ciclos nao e coisa facil…mais RESPIRAR e preciso…..memso em meio amontanhas……c todo meu amor, nao respirava mais.
    Obrigada pelo texto, lindissimo como td que vc faz

  3. Andrea Mendes says:

    Já li antes…talvez em algum livro do Roberto Shinyashiki !!
    Mas também, ní£o tenho certeza se é dele…

  4. karina says:

    É a ordem natural das coisas…
    Tudo tem seu tempo para comecar, durar e terminar e assim vamos descobrindo o mundo e a nós mesmos. Cada ciclo que se fecha é a oportunidade de desenvolvimento e a esperanca de uma vida promissora. Ganhar e perder fazem parte do término do ciclo e o recomeco de uma nova era…

  5. Áfia Gouveia says:

    Bem dito! É algo tí£o doloroso (principalmente no caso daquelas pessoas extremamente nostálgicas) mas tí£o necessário para mantermo-nos saudáveis…

  6. alexandra says:

    Muito obrigado por publicar, isto ajudou-me muito mais um capitolo!!!

  7. Tutti Rivero says:

    O texto e otimo,mas eu mudaria a traducao do titulo para:”Fechando ciclos”.

  8. ana sara says:

    o maior problema é quando algumas pessoas ní£o nos deixam encerrar capí­tulos, se vitimizam e nos culpam de tudo. Do que fazemos ou ní£o fazemos! “Somos presos por ter cí£o e ní£o ter cí£o”… e fazem tudo para nos sentirmos infelizes como eles…. atirando-nos í  cara que ní£o andamos com eles “ao colo”, quando a nós nada nos dí£o só exigem….. e nada de lúcido entra naquelas cabeí§as…nada…. vitimizam-se sempre!!!! É muito cansativo.

  9. Tato says:

    Hey , é de Fernando Pessoa- ele mesmo !!

    ní£o, ní£o é. Eu conheí§o a obra de Pessoa

  10. danillo says:

    Esse texto me caiu como um sinal dos céus.Uma dádiva dolorosamente necessária.Decidi a partir de hoje deixar que 4 anos de passado possam assumir seu legitimo lugar de passado.Preciso tanto disso!Meu futuro quer tanto isso.Abro mí£o agora do ressentimento e do lamento da vida que poderia ter sido.Com amor e gratidí£o no coraí§í£o entrego aos ventos o sofrimento que por tanto tempo fiz questí£o de cultivar tí£o carinhosamente.Sei que esse vento ao retornar me trará de troco uma felicidade ainda desconhecida e uma nova vida no curso desse novo e esperaní§oso caminho. OBRIGADO!!!

    1. Solange says:

      Assim como disse Danillo acima, foi uma dádiva necessária ler estas palavras foi como reiniciar, .
      A dias lembro e relembro de algo que nem vale mais a pena lembrar, de, pessoas que já deveriam estar nos seus devidos lugares : Passado!
      Como palavras tí£o óbvias lidas do nada podem refletir sentimentos e sensaí§íµes em nossas vidas ní£o é?
      Adorei, agora é só atitude, que venham momentos de clareza e felicidades!
      Valeu
      !

  11. perla burnes says:

    Es muy cierto,vivimos tantas cosas a las cuales nos aferramos,sin darnos cuenta muchas veces q hay q dejarlas para seguir adelante y conseguir nuevas oportunidades q la vida t presenta.!!!!!!

  12. Viviane says:

    Paulo como sempre encantando…

    “Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.”

  13. Bom dia, bongiorno, caro com vocè que ci da tanto com frazes, com palavras escritas eu as vezes nao sinto a necessitade di escrever outras coisas,nao o necessitadi,tanta luz a vocè e bua vita.beijos.

  14. Maria Caixeiro says:

    É um texto de uma sabedoria incumensurável.Fechei ,por diversas vezes e voluntí riamente ciclos da minha vida por uma necessidade premente de renovaí§í£o e soube a liberdade!«Fechar ciclos,limpar a poeira,abrir espaí§os», pode ser muito doloroso se envolver a sensaí§í£o de perda,porque o passado ní£o se fecha a cadeado e ní£o fica numa recolha quieta.Ele teima em assombrar-nos a Vida que queremos renovada.Aos 59anos a grande mudaní§a ocorreu de uma forma bem dramática .Como consequíªncia duma atitude altruí­sta e um pouco irreflectida ,tudo perdi injustamente.Iniciei um novo ciclo,recomeí§ando do zero.Durante algum tempo a inseguraní§a foi tanta ,que tinha a sensaí§í£o de flutuar,como se ní£o tivesse chí£o!A luta foi dura,mas o caminho novo é revigorante porque traz novas energias e a libertaí§í£o das dores (ainda quentes).Desculpe ,PAULO ter acabado por testemunhar,mas a impressí£o que tive quando li o texto foi muito estranha,como se estivesse a ler algo que me fosse especialmente destinado.Pedi tantas vezes a Deus que me ajudasse a abrir a minha mente para me libertar dos sentimentos negativos que por vezes espreitavam e hoje a 20 dias do meu aniversário, este texto foi uma prenda antecipada, para me ajudar ainda a reflectir e a agarrar a VIDA com mais forí§a,para definitivamente aceitar a renovaí§í£o!Deus o abení§oe pela forí§a e esperaní§a que transmite a quem o líª!

  15. Sylvia says:

    Hoje este texto me ajudou muito, obrigada por publicá-lo novamente no face.
    Sylvia

  16. Priscila says:

    Lindo mesmo. Já li em alguns lugares com créditos ao Caio Fernando de Abreu, mas também ní£o tenho certeza de quem é.

  17. Mayara says:

    Sempre perfeito e sempre nos norteando, ultrapassando as fronteiras das palavras perfeitas e belas, eu ní£o consigo mais imaginar o que possa vir…Sempre no seu face…..

  18. Paula says:

    Palavras perfeitas p esse momento de nossas vidas!!!