Nhá Chica de Baependi (beatificada em 4 maio 2013)


O que é um milagre?
Existem definições de todos os tipos: algo que vai contra as leis da natureza, intercessões em momentos de crise profunda, coisas cientificamente impossíveis, etc.
Eu tenho minha própria definição: milagre é aquilo que enche o nosso coração de paz. Ás vezes se manifesta sob forma de uma cura, de um desejo atendido, não importa – o resultado é que, quando o milagre acontece, sentimos uma profunda reverência pela graça que Deus nos concedeu.

Há vinte e tantos anos atrás, quando eu vivia meu período hippie, minha irmã me convidou para ser padrinho de sua primeira filha. Adorei o convite, fiquei contente que ela não me pediu para que cortasse os cabelos (naquela época, chegavam até a cintura), nem me exigiu um presente caro para a afilhada (eu não teria como comprar).
A filha nasceu, o primeiro ano se passou, e o batizado não acontecia nunca. Achei que minha irmã tinha mudado de idéia, fui perguntar o que havia acontecido, e ela respondeu: “Você continua padrinho. Acontece que eu fiz uma promessa para Nhá Chica, e quero batizá-la em Baependi, porque ela me concedeu uma graça”.

Não sabia onde era Baependi, e jamais tinha escutado falar de Nhá Chica. O período hippie passou, eu me tornei executivo de gravadora, minha irmã teve uma outra filha, e nada de batizado. Finalmente, em 1978, a decisão foi tomada, e as duas famílias – dela e de seu ex-marido – foram a Baependi. Ali eu descobri que a tal Nhá Chica, que não tinha dinheiro nem para seu próprio sustento, havia passado 30 anos construindo uma igreja e ajudando os pobres.

Eu vinha de um período muito turbulento em minha vida, e já não acreditava mais em Deus. Ou melhor, dizendo, já não achava que procurar o mundo espiritual tinha muita importância: o que contava eram as coisas deste mundo, e os resultados que pudesse conseguir. Tinha abandonado meus sonhos loucos da juventude – entre os quais, ser escritor – e não pretendia voltar a ter ilusões.
Estava ali naquela igreja para apenas cumprir um dever social; enquanto esperava a hora do batizado, comecei a passear pelos arredores, e terminei entrando na humilde casa de Nhá Chica, ao lado da igreja. Dois cômodos, e um pequeno altar, com algumas imagens de santos, e um vaso com duas rosas vermelhas e uma branca.

Num impulso, diferente de tudo o que eu pensava na época, fiz um pedido: se, algum dia, eu conseguir ser o escritor que queria ser e já não quero mais, voltarei aqui quando tiver 50 anos, e trarei duas rosas vermelhas e uma branca.

Apenas para me lembrar do batizado, comprei um retrato de Nhá Chica. Na volta para o Rio, o desastre: um ônibus pára subitamente na minha frente, eu desvio o carro numa fração de segundo, o meu cunhado também consegue desviar, o carro que vem atrás se choca, há uma explosão, vários mortos. Estacionamos na beira da estrada, sem saber o que fazer. Eu procuro no bolso um cigarro, e vem o retrato de Nhá Chica. Silencioso em sua mensagem de proteção.

Ali começava minha jornada de volta aos sonhos, à busca espiritual, à literatura, e um dia eu me vi de novo no Bom Combate, aquele que você trava com o coração cheio de paz, porque é resultado de um milagre. Nunca me esqueci das três rosas. Finalmente, os cinqüenta anos – que naquela época pareciam tão distantes – terminaram chegando.

E quase passam. Durante a Copa do Mundo, fui a Baependi pagar minha promessa. Alguém me viu chegando em Caxambu (onde pernoitei), e um jornalista veio me entrevistar. Quando eu contei o que estava fazendo ali, ele pediu:
– Fale sobre Nhá Chica. O corpo dela foi exumado esta semana, e o processo de beatificação está no Vaticano. As pessoas precisam dar seu testemunho.
– Não – disse eu. – É uma história muito íntima. Só falaria se recebesse um sinal.
E pensei comigo mesmo: “O que seria um sinal? Só mesmo se alguém falasse em nome dela!”

No dia seguinte, peguei o carro, as flores, e fui a Baependi. Parei um pouco distante da igreja, lembrando o executivo de gravadora que estivera ali tanto tempo antes, e as muitas coisas que tinham me conduzido de volta. Quando ia entrando na casa, uma mulher jovem saiu de uma loja de roupas:
– Vi que seu livro “Maktub” é dedicado a Nhá Chica – disse ela. – Garanto que ela ficou contente.

E não me pediu nada. Mas aquele era o sinal que eu estava esperando. E este é o depoimento público que eu precisava dar.

Comments

  1. Marie-Christine says:

    En francais
    Blog de Paulo Coelho
    Nha Chica de Baependi
    Qu’est-ce qu’un miracle?
    Il existe des definitions de tout genre. quelque chose qui va contre les lois de la nature, intercessions aux moments de crise profonde, des choses scientifiquement impossibles, etc.
    J’ai ma propre definition : le miracle est ce qui remplit notre coeur de paix. Parfois il se manifeste sous la forme d’une cure. un voeu qui nous est accorde. peu importe, le resultat est que, lorsqu’un miracle arrive nous ressentons une profonde reverence pour la grace que Dieu nous a accorde.
    Il y a ving ans de cela, lorsque je vivais ma periode hippie, ma soeur m’a demande d’etre le parrain de sa premiere fille, J’ai adore l’invitation, J’etais content qu’elle ne m’ait pas demande de me couper les cheveux (qui a cette epoque arrivait jusqu’a la ceinture) ni n’a exige un cadeau cher pour la filleule. (je ne pouvais pas l’acheter).
    Une fille est nee. La premiere annee s’est ecoulee, et le bapteme n’arrivait jamais. J’ai pense que ma soeur avait change d’idee. Je suis alle lui demander ce qui se passait et elle a repondu :
    ‘Tu es toujours le parrain,J’ai fait une promesse a Nha Chica et j’aimerais la faire baptiser a Baependi parce qu”elle m’a accorde une grace.
    Je ne savais pas ou etait Baependi, et je n’avais jamais entendu parler de Nha Chica. La periode hippie passee, je suis devenu Directeur d’une maison de disques,. ma soeur a eu une autre fille et rien sur le bapteme. Finalement, en 1978, une decision fut prise. et les deux familles, la sienne et celle de son ex-mari – sont alles a Baependi. La-bas, j’ai decouvert que la denommee Nha Chica qui n’avais pas d’argent pour subvenir a elle-meme, avait passe trente ans a construire une eglise et a aider les pauvres.
    Je retraversais encore une periode tres turbulente dans ma vie, et d’autre part, ne croyais plus en Dieu. Ou pour mieux dire, je ne pensais pas que la quete spirituelle avait grande importance. ce qui comptait etait les choses du monde et les resultats que l’on pouvait obtenir.
    J’avais abandonne mes reves fous de jeunesse – parmi eux, celui de devenir ecrivain – et je ne n’avais aucune pretention de revenir vers ce reve . Je me trouvais dans cette eglise pour accomplir un devoir social. En attendant l’heure du bapteme, je me suis promene aux alentours , j’ai fini par entrer dans l’humble maison de Nha Chica, a cote de l’eglise. Deux chambres et un petit autel avec quelques images de Saints et un vase avec deux roses rouges et une blanche,
    Sous impulsion, differemment ,de tout ce que je pensais a cette epoque, j’ai fait une priere : si un jour, je devenais un ecrivain – ce que je voulais etre et qu’a present je ne le voulais plus, je retournerais ici lorsque j’aurais 50 ans, et j’apporterais deux roses rouges et une blanche,
    Afin d’avoir un souvenir du bapteme, j’ai achete une image de Nha Chica. Au retour vers Rio : le desastre. un bus s’est arrete soudainement devant moi, J’ai devie la voiture d’une fraction de seconde. et mon beau-frere aussi a reussi a s’ecarter, la voiture qui arrivait derriere est entree en collision. Il y a eu une explosion, plusieurs morts.
    Nous nous sommes gares au bord de la route, ne sachant que faire. J’ai cherche une cigarette dans la poche et j’ai vu l’image de Nha Chica. Silencieuse, dans son message de protection,
    C’est la qu’a commence mon voyage de retour aux reves vers la quete spirituelle, la litterature et un jour je me suis retrouve sur le bon combat, celui dont vous vous engagez avec le coeur rempli de paix parce qu’il resulte d’un miracle. Je n’ai jamais oublie les trois roses. Finalement, les 50 annees, qui a cette periode, paraissaient tres distantes, ont fini par arriver –
    Et presque passees. Pendant la Coupe du Monde, je me suis rendu a Baependi pour payer ma promesse. Quelqu’un m’a vu arriver a Caxamba (ou j’ai passe la nuit) et un journaliste est venu m’interviewer, Lorsque je lui ai raconte ce que je faisais ici, il a demande :
    ‘Parlez de Nha Chica. Son corps a ete exhumee cette semaine et la procedure de beatification est au Vatican, Les personnes doivent aller donner leur temoignage,’
    ‘Non.” ai-je repondu. C’est une histoire tres intime. Je dirais seulement avoir recu un signe, Et en moi-meme. j’ai pense.’Qu’est-ce qu’un signe? Meme si quelqu’un parle a sa place,”
    Le jour suivant, j’ai pris la voiture, les fleurs et suis alle a Baependi. Je me suis
    gare un peu loind de l’eglise, en me souvenant du Directeur du magasin de disques que j’etais il y a si longtemps et aux nombreuses choses qui m’ont fait revenir ici,
    Lorsque je suis entre dans la maison, une jeune femme sortait d’une boutique de vetements.
    ‘J’ai vu que votre livre ‘Maktub” etait dedie a Nha Chica. ” a-t’elle dit. Je garantie qu’elle a ete tres contente.’
    Et elle ne m’a rien demande. Mais cela etait le signe que j’attendais. Et c’est le temoignage public que j’avais besoin de donner.

  2. edison antonio says:

    Nao me canso de ler seu testemunho, eu sou suspeito para falar sobre NHA CHICA a quem tanto admiro,mas a transformacao que ela operou em sua vida profissional foi excepcional, juntou seu talento , com varios milagres que ocorreram( tente recordar), para fazer de voce esse renomado escritor.
    Agradeca sempre e a melhor maneira de dizer EU TE AMO NHA CHICA,nossa
    intercessora de Maria la no ceu.

  3. ANA MARIA says:

    APRENDI SOBRE NHA CHICA LENDO SEU LIVRO ,HJ NHA CHICA FAZ PARTE DE MINHA VIDA

  4. yasmin says:

    Viva Nhá Chica!!!

  5. cristina cabral says:

    Que história linda. Que Nha Chica nos proteja.

    1. Marie-Christine says:

      sim
      obrigada
      con amor

  6. Tutti Rivero says:

    O Papa,hoje,reconheceu o milagre de Nha Chica,que sera beatificada.
    Que Nossa Senhora lhe guarde.

  7. Cristina says:

    Adoro esse relato.
    Emocionante.
    Que Nhá Chica interceda por vc sempre, junto à Nossa Senhora e junto ao Pai.
    Nhá Chica rogai por nós!

  8. Renata Lopes says:

    É querido Paulo Coelho, são testemunhos como os seus que fizeram com que hoje seja anunciada com certeza a Beatificação de nossa querida Serva de Deus Nhá Chica. Baependi está em festa! Que santa Nhá Chica rogue por nós!

  9. Caro Paulo Coelho e leitores,

    Eu estava curioso sobre o seu livro Alquimista, procuro notícias sobre vc e para minha surpresa leio sobre Nhá Chica. Mais um sinal?

    Também tive experiências fortíssimas na casinha de Nhá Chica. Prefiro não expor essas experiências aqui, são muito íntimas. Mas as resumo dizendo que Nhá Chica é uma referência espiritual para mim.

    Ela foi (e é) o melhor exemplo de humildade e trabalho pelo próximo que já pude encontrar. Já conhecia a sua história com ela, pois a li no memorial Nhá Chica, mas não sabia da parte do acidente. Eu também guardo comigo, sempre no bolso, um santinho de Nhá Chica.

    Recomendo a todos a visita ao Santuário de Nhá Chica. Vá com o coração aberto, fé pura e desejo de mudança.

    Além disso, acho Baependi uma graça de cidade. As missas no santuário acontecem aos Domingos, as 9h e as 11h da manhã.

    Prof. Arlindo.

  10. teny says:

    Eu como morador de Baependi e devoto de Nhá Chica
    fico muito orgulhoso por saber que você também fez um depoimento sobre
    ela !

  11. Wanderlaini Aparecida Rodrigues says:

    A vida é um mistério e cabe cada um de nós saber decifrá-lo.
    Sei que cada um está aqui para fazer um mundo cada vez melhor.

  12. M.Matias says:

    I did not know about Nha Chica,
    Dearest Paulo Porem seu account is fabulously fab. Right at this moment I am living through a fantastic event, a healing one of magic or miracously proportions. Getting your today e-mail is purely bizarre.
    It so fantastic and the implications will reverberating for decades. Maybe one day I shall offer u a resume.
    Very glad you are there regardless. May your profession endures for always.
    Kind Regards
    MM

  13. Olga says:

    Anoche a las 11, no me quería ira a dormir. Entonces pedí por vos, que si te hacía falta encontrar algo en ésta vida, que lo encontraras hoy.

  14. Dear Paulo,
    Something amazing happened today.
    And now, reading this story, learning about Nhá Chica and beautiful photo, the colors. Just after your St Joseph party last year, learned that St Joseph is the patron Saint of Canada.
    A very special video to share:
    http://www.youtube.com/watch?v=OTH75U2vRG0&feature=my_liked_videos&list=LLE7j_CnJLqpKeCta0IrLFqw

    Thankful, thankyou. Love,
    Jane

  15. Paulo, fiquei emocionada e meus olhos se encheram de lágrimas ao ler esse texto sobre “milagre” e “sinais” .

    “Sinais” é justamente o tema que escrevi recentemente no meu blog e “milagre” é o que estou esperando da “Graça Divina”.

    Com amor

    Du Carmo

  16. JOELLE says:

    Il m’es arrivé quelque chose de bizarre un jour .J’ai rencontré quelqu’un qui m’a appris à planter des plants de fleurs et à ramasser des petits cailloux pour faire des petitees croix sur la terre de mes jardinières . Puis peu à peu il est devenu menaçant ,j’ai fait des cauchemars la nuit . Je courais dans tous les sens . Je me suis retrouvé dans le lit de mon fils car je faisais des crises d’angoisse Une nuit de cauchemars ,je n’ai pas dormi de la nuit et je suis allée à une fête sportive pour voir ma petite fille . J’étais fatiguée,j’ai failli m’endormir .J’ai quand même assisté mais je l’ai à peine aperçue . Depuis je vis un cauchemar car tous les matins et parfois la nuit ,j’ai des appels qui vrombissent dans mes songes . Je ne sais pas ce que c’est mais je suis lasse de ces cris de haine . J’essaie de m’en débarasser mais j’ai du mal à le faire car j”ai plein de choses à écrire car j’ai envie d’écrire mon histoire ou la reconter à quelqu’un pour en faire un beau livre comme ceux de Paulo . C’est une quête à finir .

  17. Gonzalo says:

    Dios mio!!! Paulo usted me conmovio hasta lo mas profundo de mi ser con esta bella historia
    kl

  18. Tutti Rivero says:

    As vezes Deus fala pela boca do mais humilde,do menos sabio,do mais pobre,do nao tao bonito ao inves de falar pela boca do Papa…

  19. Hector says:

    Yo pienso que los milagros suceden en cualquier momento de nuestra vida, A veces ni los notamos y creemos que son casualidades, pero si analizamos cuidadosamente descubrimos las bondades que solo un milagro es digno de realizar..

  20. çigarra says:

    Un pò di storia in italiano…

    1810 – 14 giugno 1895

    La Venerabile Francisca de Paula de Jesus, detta comunemente Nhà Chica (zia Francesca), è nata nel 1808 a São João del Rey nello Stato di Minas Gerais in Brasile. Ebbe il nome di s. Francesco di Paola, il santo taumaturgo fondatore dell’Ordine dei Minimi, molto venerato dagli schiavi nel sud America in particolare nel Minas Gerais. Non aveva cognome perché figlia naturale di Izabel Maria, una schiava, e di padre sconosciuto, probabilmente il padrone della fazenda.

    Dalla madre apprese le preghiere e le devozioni ma, essendo donna e schiava, non poté ricevere alcuna istruzione scolastica. Da adulta non avvertì mai la necessità di imparare a leggere, però, come ebbe a confessare al dr. Henrique Monat quasi al termine della sua esistenza: “desiderai solamente ascoltare la lettura delle Sacre Scritture; qualcuno mi fece questo favore e rimasi soddisfatta”.

    Francisca de Paula, nel 1821, affrancata dalla schiavitù, si trasferì con la madre e Theotonio Pereira do Amaral, fratello per parte di madre, a Baependi, una città in pieno sviluppo, dove, pochi mesi dopo, rimase orfana.

    In punto di morte la madre le raccomandò di condurre una vita ritirata, per praticare meglio la carità e conservare la fede cristiana. Così, pur avendo molte richieste di matrimonio, le rifiutò ritenendo di avere una missione da compiere, tuttavia non si mostrò mai contrariata con i pretendenti, anzi si dichiarava grata per le buone intenzioni dimostrate nei suoi confronti.

    Volendo seguire il consiglio della madre rimase a vivere da sola in una casetta su una collina ai limiti dell’abitato di Baependi per dedicarsi alla preghiera e alla cura dei poveri, rinunciando di andare a vivere insieme con il fratello, diventato tenente della Guardia Nazionale, quindi Consigliere comunale, dedito al commercio.

    Francisca de Paula, pertanto, scelse sin dalla prima giovinezza una vita di povertà: vivere in preghiera, povera tra poveri. Lo zelo verso il Signore la spinse ad organizzare incontri di preghiera quotidiana e settimanale tra la gente del quartiere circostante, ad offrire un pranzo settimanale per i poveri, ad elargire elemosine per i bisognosi. Divenne così ben presto l’umile “madre dei poveri”, come veniva chiamata, pronta ad accogliere chi si avvicinava a lei per chiedere preghiere, consigli, consolazione e conforto.

    Solo la fede la portò a rinunciare ad una vita agiata e senza problemi per il bene dei fratelli. Costituì una vera lampada posta sul candelabro. Infatti, pur essendo ex schiava e discendente di schiavi, ha attratto a sé persone di ogni razza e tendenza politica. Segno che si vedeva in lei la donna di Dio, piena di fede e di carità.

    La sua casa per ben settantacinque anni fu un luogo frequentato da persone semplici e Consiglieri imperiali, giovani e professionisti di grido, poveri e ricchi, provenienti non solo dal Minas Gerais, ma anche dal vicino Stato di São Paulo e soprattutto dalla capitale di allora, Rio de Janeiro. Molti cittadini che andavano a “passare le acque” nel vicino centro di Caxambu, si recavano da lei dapprima spinti dalla curiosità per poi finire a chiedere preghiere e consigli. Ed Ella aveva una risposta per tutti, senza credersi una profetessa ma, come ebbe a dire: “Rispetto ciò che mi dice la Madonna e niente più”.

    Chiamava la SS.ma Vergine “Minha Sinhá” (la mia Signora) e confessava candidamente: “Io prego e la Madonna mi ascolta, mi risponde”, oppure “è lo Spirito che mi ispira”. Fu proprio in questo contesto che la Madonna le chiese la costruzione di una cappella in suo onore.

    Il fratello, deceduto nel 1862, la designò sua erede universale. Con la cospicua eredità poté incrementare le attività caritative e sociali, provvedendo anche alla costruzione della cappella, dedicata all’Immacolata Concezione di Maria. Grande è stata la sua capacità di coinvolgere in quest’impresa tutte le persone che la frequentavano.

    L’8 luglio 1888 sentì l’esigenza di spogliarsi di tutto quel che possedeva in qualità di ereditiera, dettando il testamento in cui lasciò i suoi beni alla Parrocchia. Tenne a dare le indicazioni necessarie su tutto quel che dovesse essere venduto e dato ai poveri, e perfino su come dovesse svolgersi il suo funerale e quante messe dovessero essere celebrate in suffragio suo e dei suoi cari. Il suo abito di “nobiltà” doveva essere dato ad una ragazza povera per le sue nozze.

    Quella che per tutti era ed è Nhà Chica morì il 14 giugno 1895. Il suo corpo fu tenuto esposto per ben quattro giorni, senza che desse il minimo segno di decomposizione, si permise così ai numerosi fedeli, accorsi da ogni dove, di darle l’estremo saluto. Esposta per le esequie nella Chiesa Matrice di Baependi, fu quindi portata a spalla da un gruppo di ragazze alla Cappella da lei costruita, dove fu tumulata. Nel 1999 si effettuò la ricognizione canonica e i resti mortali furono sistemati sempre nel medesimo luogo in un sarcofago di granito.

    La spiritualità della Venerabile ha avuto una connotazione profondamente evangelica, perché si è basata unicamente sull’amore di Dio e del prossimo, manifestato nel modo più semplice e naturale, perché non ha avuto alcuna matrice dotta o speculativa.

    LUZ

    1. Marie-Christine says:

      grazie Cigarra molto interessante.

  21. Natasha Novínsky says:

    Paulo…
    Um dos mais lindos sentimentos é o da gratidão!!! Deus sempre dar um jeito de nos fazer acreditar em nossos sonhos novamente,mesmo que toda há estrada seja cheia de pedras e espinhos…Sua história de vida é muito bonita e mostra a todo tempo que Deus sempre teve lindos planos pra você!!!
    Beijos carmim…

  22. cosma gomes says:

    É sempre gratificante escutar testemunho como esse,Deus se revela através da simplicidade,é uma historia que nos alegra o coração.Principalmente contada por nosso querido mago.Obg Deus por esse ser de luz na nossa vida que é Paulo Coelho maravilhoso.

  23. Aimen says:

    Very nice…May God bless u

  24. Irene Chemin says:

    Fiquei emocionada de ler isso!
    Fico feliz por ti e apenas espero que um dia eu me torne uma grande escritora como você, seja por um milagre ou simplesmente por conseguir ter um pouco do teu talento!

  25. Maria Zurc says:

    Oi Paulo Coelho, que lindo esse depoimento. Muitas vezes as pessoas só acreditam em milagre quando acontece com elas, por acreditar que seria impossível mas, os milagres existem sim e com frequência, sem serem percebidos, .
    Que bom que aconteceu com você, eu só acho que você nunca deixou de acreditar na espiritualidade, somente se desencantou por um tempo, quando recebeu a bênção, foi despertado para a realidade. Você é muito iluminado. Um grande abraço!. :)

  26. Pilar de a Orillas del Rio Piedra says:

    Viva Nhá Chica!!! existen los milagros.. un beso Paulo.

    Love

    Pilar e Juan

  27. toñi says:

    Es muy bonito lo que has escrito.
    Los milagros existen, de hecho la vida ya es un milagro en sí misma.
    Muchas veces los milagros ocurren y no podemos verlos, o no nos damos cuenta. El encontrar la paz interior en el corazón, eso es un milagro. Yo he conseguido encontrar la paz de mi corazón, al principio pensaba “no tengo sentimientos, cuanta paz” pero los sentimientos de paz…también son sentimientos. Hice muchos cambios en mi vida para encontrar mi paz, me vacié por dentro y por fuera, y luego reconstruir lo viejo. He cambiado mi imagen exterior, he cambiado la imagen de mi casa…me he cortado el pelo (siempre lo he llevado largo, larguisimo, pensaba que mi pelo me daba fuerza). He cambiado muchas estructuras mentales y mi entorno social. He deseado no tener energía en mis manos para tener una vida simple…pero ahora me doy cuenta de la razón o las razones por las cuales he nacido, he aceptado ser lo que soy, he aprendido a quererme a mi misma siendo lo que soy. Ayer estuve en un pueblecito pequeño, en una fiesta de fin de curso del colegio del pueblo. Ese colegio sólo tiene 30 alumnos y cinco profesores. Rodeada de montañas y en compañía de aquellas personas tan humildes, el cariño de los profesores hacia sus alumnos, los niños cantando…fue muy hermoso. Me sentí como si estuviera en un lugar sagrado, en un templo de cariño. compañerismo, unión, ilusiones que crecen. Hubo una profesora que hizo un discurso y los niños lloraron emocionados. Les dijo “sois personas maravillosas, y nosotros aprendemos y os enseñamos a formar parte del universo, pero nunca olvideis que todos y cada uno de vosotros sois maravillosos y únicos”. La fuerza más grande de este mundo es el amor, sin amor nunca hubiéramos nacido, sin amor no habría equilibrio y el amor está por encima de todo: las traiciones, las mentiras, los egoismos, todo…Cuando el corazón está en paz sabe perdonar y entender…porque comprende. El universo respira a través de nosotros, todos formamos parte de todos porque todos formamos parte de Dios. Dios o el universo y todos nosotros somos una misma unidad. Todos somos “revelaciones divinas” y todos podemos llegar hasta donde nuestro corazón nos guíe.
    Un saludo y un abrazo muy fuerte para todos.
    Toñi.

  28. miriam says:

    todos tenemos la nesecidad de creer en algo superior porque no creer en los milagros,proteguidos o no savemos que hay alguien por ayi que apesar de nuestros defectos nos guia x bien aunque aveses parese olvidarse.

  29. Célia Barros says:

    Nunca achamos que ele possa acontecer. só quando nos deparamos com ele.
    Foi um belo depoimento meu caro Paulo, e que muitos milagres como este
    possa acontecer na sua vida…..