O pulha

IN ENGLISH HERE: The creep
________________________________

Ele é a pessoa que tenta se destacar mais na época em que somos adolescentes, quando lutamos para afirmar nossas identidades, nossos sonhos, nosso lugar no mundo. Estamos cheios de dúvidas sobre o que fazer, e de repente o pulha está ali: é sempre o lí­der, o que se acha mais bonito, mais inteligente, mais capaz de enfrentar os desafios do futuro.

No caso dos rapazes, normalmente se impíµe por sua forí§a bruta ou por suas atitudes “espertas”, como se soubesse mais que todo mundo. No caso das moí§as, é sempre aquela que parece atrair os olhares de todos os homens, ser convidada para todas as festas, estar sempre mais elegante.

Todos nós, durante este importante rito de passagem que é a adolescíªncia, fomos testados em nossos valores fundamentais – menos o pulha. Enquanto sofrí­amos o descaso, a inseguraní§a, a fragilidade, ele passava ao largo.

Um belo dia, já adultos, pensamos em encontrar nossos amigos de juventude. Organizamos uma reunií£o, geralmente em um restaurante. O pulha aparece – geralmente também casado(a). Todos nós estamos interessados no que ocorreu em sua vida.
A primeira surpresa é que o pulha ní£o chegou a lugar nenhum. Melhor dizendo, pode ter dado um ou dois passos bem-sucedidos, mas logo a vida foi implacável com a sua arrogí¢ncia – o mundo dos adultos é bastante diferente daquele que vivemos quando jovens.
No iní­cio do jantar, parece que voltamos atrás, mas logo nos damos conta que ele foi apenas um instrumento para que pudéssemos crescer. Depois de alguns goles de álcool, vemos o pulha acuado, tentando provar uma forí§a que já ní£o existe mais, achando que ainda acreditamos que continua lí­der de todos nós.

Nós sorrimos, confraternizamos com todos, pagamos a conta, e saí­mos com aquela impressí£o de que o pulha fez a escolha errada. Pensamos: “essa pessoa tinha tudo para dar certo, e ní£o deu”.

Todos nós tivemos um pulha na vida. Ainda bem.

Livraria Online AQUI
Meus livros em Kindle AQUI