Barrados na Bélgica

1 de Outubro 2011

Ní£o houve qualquer repercussí£o, nenhum traí§o de informaí§í£o sobre a abertura da Europalia hoje. Nem mesmo nas revistas mais sofisticadas – nada sobre o conteúdo da exposií§í£o, nada sobre os discursos. Nem mesmo uma entrevista com a Presidenta do Brasil. A grande manchete hoje (na Bélgica) é uma exposií§í£o dos mestes de pintura flamenga em Bruges.

There’s no trace of any reporting about the opening in Belgian media today, not even in the culture magazine of the most highbrow newspaper, they did post a message on their website about Prince Laurent not being at the opening ignoring the content of the expo and the speeches given completely. Not even an interview with the Brazilian president. The big cultural headline is the Flemish masters expo in Bruges where they show the paintings from Van Eyck, Rubens and Breughel owned by the arts musueum in Vienna

01 Outubro 2011 16:57
Algumas notí­cias de hoje na imprensa belga sobre o péssimo comportamento dos curadores do Brasil no evento (Thanks, Thomas!):

BRUXELAS: O novo governo brasileiro obrigou Europalia a fazer mudaní§as de ultima hora no programa. “Entendemos que um novo Ministro da cultura quer imprimir uma diferente visí£o do projeto” diz a Diretora Kristine de Mulder. ” Mas o contrato que foi assinado ní£o será revisto.” Também é dada como certa a substituií§ao do curador geral brasileiro, Sergio Mamberti.

BRUSSEL – De nieuwe regering in Brazilií« dwingt Europalia tot verschuivingen in het programma. Deze week komt een delegatie de details van het festival bespreken. ‘Het is logisch dat een nieuwe minister van Cultuur zijn stempel wil drukken’, zegt directeur Kristine De Mulder. ‘Maar het contract is getekend en wordt niet herzien.’ Het staat wel vast dat commissaris-generaal Sergio Mamberti wordt vervangen.

Europalia: vários projetos estí£o correndo perigo. Brasil anunciou que quer diminuir 7 a 8 por cento do programa
Europalia: Diverse kleinere projecten komen wel in het gedrang. Brazilií« kondigde al aan 7 tot 8 procent te willen besparen op het programma.

Por mais que insista, ní£o consigo saber onde posso ver a prestaí§í£o de contas dos 30 MILHí’ES DE REAIS QUE O GOVERNO BRASILEIRO DETONOU

Mas fico contente que a curadora da parte de literatura, Flora Süssekind, foi obrigada a CALAR A BOCA.
 

28 setembro 17:21 hr
Jornalista do Vif liga de novo.
Falou com um curador belga, que disse estar “horrorizado” com a “arrogí¢ncia” dos curadores brasileiros, que estí£o utilizando a Expocalia para “renvoyer l’ascenseur” (difí­cil de traduzir. Ao pé da letra, seria “enviar de volta o elevador”. Como expressí£o idiomática, significa favorecer um pequeno grupo, o que conhecemos por “panelinha”).
Comentei que está custando aos cofres brasileiros EUR 12.114.700 (30 milhíµes de reais).
“E os brasileiros estí£o de acordo com isso?” perguntou, supresa.
Melhor desconversar, e desligar logo o telefone
Ní£o consegui achar um site do Governo detalhando como 30 milhíµes de reais estí£o sendo gastos. Se alguem souber, por favor poste em comentários.

28 setembro, 10:21 hr
Ontem ní£o tive tempo, mas hoje telefonei para duas pessoas em Bruxelas. Um membro do governo e uma jornalista do Le Vif, a mais importante revista belga.

O membro do governo ní£o sabia do evento ( que custa aos cofres públicos brasileiros 30 milhíµes de reais), mas vai apurar.

A jornalista do Vif tampouco sabia do evento. Uma hora depois me telefonou de volta dizendo que, se receberam o press-release, ninguem no Depto. de Cultura guardou. A única noticia que tinham era do palácio, dizendo que como a presidenta Dilma estará presente, a familia real também estará – mas os prí­ncipes Laurent e sua esposa, Claire, ní£o estarí£o (ou seja, única informaí§í£o até agora na Vif é uma fofoca interna da realeza)

Comentei a matéria da FSP ontem. A jornalista ní£o entendeu: “um lugar menor e com muití­ssimo menos visibilidade? E o Gilberto Gil, tampouco virá?”

Se alguem tiver como me informar onde posso ter acesso í  prestaí§í£o de contas dos 30 milhíµes (pagina web, etc) agradeí§o. Deixem em “comentários” (abaixo)


27 de setembro: BARRADO NA BELGICA

(trecho da matéria publicada dia 27 de Setembro, na Folha de Sí£o Paulo)

Maior e mais caro projeto da atual gestí£o do Ministério da Cultura, o festival Europalia, que comeí§a na próxima terí§a em Bruxelas, chama a atení§í£o pelos artistas que ficaram de fora de sua seleí§í£o.
Numa parceria entre os governos do Brasil e da Bélgica, a ideia era homenagear a produí§í£o cultural brasileira num grande evento europeu, mas produtores nacionais enfrentaram a resistíªncia dos belgas para emplacar nomes mais ousados e experimentais na programaí§í£o do festival, que custará aos cofres brasileiros R$ 30 milhíµes.
As 16 exposií§íµes de artes visuais, com cerca de 1.500 obras, entraram na lista, mas áreas como literatura, música, teatro e daní§a sofreram.
Segundo os brasileiros, os belgas queriam receber artistas mais populares na Europa, como Caetano Veloso, Gilberto Gil e Chico Buarque.
“Isso existe mesmo, a visí£o dos belgas ní£o é a mesma que a nossa, precisa haver um afinamento”, admitiu a ministra da Cultura, Ana de Hollanda.
……….
No ponto mais crí­tico das negociaí§íµes, acabou desistindo de usar o auditório do Bozar, um dos centros culturais mais importantes de Bruxelas, porque produtores de lá insistiam em receber o autor de “O Alquimista”, na esperaní§a de lotar sua sala.
“Disseram que ní£o podiam receber ninguém menos que Paulo Coelho, entí£o eu disse que ní£o querí­amos aquele espaí§o mais”, diz Süssekind. “Achei sem graí§a.”

Responsável pela programaí§í£o teatral, Joí£o Carlos Couto diz que foi obrigado a procurar “coisas mais simples” para levar í  Bélgica, dispensando peí§as de grupos como Os Fofos Encenam.
“Eles ní£o foram porque as pessoas ní£o entendiam o texto, era muito codificado para eles”, diz Couto. “Insisti muito nisso e depois desisti, até porque ní£o queria correr o risco de fazer um espetáculo para um teatro vazio.”

Artigo inteiro (só para assinantes do UOL) > Barrados na Bélgica